Bandeiras


1. Capacitação empresarial

Ampliar o acesso dos empreendedores de Ceilândia as informações sobre negócios visando orientá-los, apoiá-los e municiá-los de ferramentas que mobilizem recursos adequados à progressiva melhoria no atendimento de clientes e gerenciamento de negócios é uma bandeira diária da ACIC.

2. Qualificação Profissional

Instituto Federal do Brasil – IFB A ACIC e diversas entidades da sociedade civil organizadas de Ceilândia trabalham em conjunto pela implantação de uma unidade do IFB, Instituto Federal de Educação em Ceilândia. A finalidade é contar com uma estrutura de ensino que possa ampliar a oferta de cursos técnicos e profissionalizantes a população de Ceilândia. Áreas nas regiões norte e sul da cidade identificadas e foram foram colocadas à disposição pela administração regional para a implantação da estrutura física que abrigará a unidade. Este trabalho mobilização já resultou na realização de uma Audiência Pública, oportunidade foi levantada as expectativas e necessidades da população para com ensino profissionalizante.

3. Segurança Pública

Há muito a criminalidade avança a indicadores que merecem atenção. A ACIC defende o aumento dos efetivos policiais, melhor aparelhamento das unidades e também a adoção de programas capazes de preparar cidadãos ainda mais conscientes de seus direitos e deveres. Ampliação do efetivo de segurança pública passa por mais infraestrutura física como a construção de um quartel da PM na região do setor Industrial de Ceilândia.

4. Transporte Público

A ampliação da linha do metrô até o terminal de ônibus do setor O, em Ceilândia, faz parte das questões estratégicas e estruturantes no que tange a transporte público para o cidadão ceilandense. O projeto Brasília Integrada, que trata da construção do corredor de ônibus na via Hélio Prates (Taguatinga note sentido fundação Bradesco em Ceilândia) e o túnel que ligará a via estádio a linha verde (o chamado túnel de Taguatinga), também, integra o conjunto de bandeiras defendidas pela ACIC com vistas a viabilização de um sistema integrado de transporte público focado na melhoria da qualidade de vida para as populações de Ceilândia Taguatinga e Samambaia.

5. Atendimento descentralizado ao cidadão

Construção do Centro Administrativo do GDF, por meio de PPP, junto a rodoviária de Taguatinga, diminuirá a atual dispersão do atendimento do GDF às demandas dos cidadãos do Distrito Federal. Investir no empreendimento permitirá que os órgãos do governo fiquem ao lado de mais de 70% da população do DF. O desenvolvimento dos objetivos do projeto contribuirá, também, para redução dos gastos do governo com aluguel de imóveis.

6. Projeto Autoestima

A construção do ceilambódromo e investimentos em cultura (como a manutenção do carnaval em Ceilândia), lazer e esporte fazem parte do conjunto de ações desenvolvidas e defendidas pela ACIC com vistas ao fomento da autoestima do ceilandense. Ceilândia fica no coração do Brasil e abriga a maior concentração de nordestino no centro oeste, na cidade acontece todos os anos em agosto o maior são João do cerrado, evento produzido pela Edilane produções. A Associação Comercial de Ceilândia (ACIC) trabalha para que, cada vez mais, o São João do Cerrado, o Carnaval, a Corrida do Coração, o Ferrock e diversos outros alavancadores da autoestima do ceilandense projetem a cidade de forma positiva no cenário nacional e internacional.

7. Implantação definitiva da infraestrutura da Unb em Ceilândia

Nesse sentido, desde 2007, as ações empreendidas pela ACIC evidenciam a importância da participação dos diversos atores sociais, dos movimentos sociais na defesa de um ensino público de qualidade. Neste sentido é que a ACIC não tem medido esforços pela implantação definitiva da infraestrutura da Unb Ceilândia, além de lutar pela ampliação de vagas em cursos novos e já existentes nos quatro Campi da UnB Ceilândia.

8. Saúde Pública

Construção de Unidade de Pronto Atendimento – UPA nos condomínios Sol Nascente e Por do Sol, P Sul e ampliação do hospital de Ceilândia fazem parte do esforços da ACIC.

9. Via de ligação Ceilândia Samambaia

Corredor de desenvolvimento e integrador de Ceilândia aos polos consumidores do centro oeste, a via de ligação Ceilândia-Samambaia é bandeira que impacta diretamente no desenvolvimento econômico da cidade e faz parte de uma ação coordenada da ACIC pela conclusão da obra.

10. Revisitando o centro de Ceilândia

Em 2007, os camelôs ocupavam o centro da cidade e numa ação acertada o GDF levou 834 ambulantes que ocupavam o centro da cidade para o Shopping Popular.

Com esta operação Ceilândia ganho de volta a noção de centro e pode verificar que muita precisa ser feito para que a cidade se desenvolvesse e toda a população desfrutasse deste novo momento. Passado este desafio há que se repensar o que queremos para as áreas do centro da cidade, por exemplo, restaurante comunitário, escritório da Caesb, agência do BRB e outros. Talvez seja chegada a hora do GDF repensar e realocar estes equipamentos públicos e colocá-los a disposição da iniciativa privada para que se construa novos empreendimentos com vistas a geração de novos empregos e renda.

11. Implantação do Parque ecológico de Ceilândia

Para a a Associação Comercial de Ceilândia (ACIC) o crescimento não planejado e o inadequado uso dos recursos naturais vêm provocando prejuízos ao meio ambiente em Ceilândia. Um exemplo é a grande extensão do parque ecológico da cidade, ao lado da sede da UnB Ceilândia, que se encontra sendo utilizado por carroceiros e por empresas de recolhe entulhos, para depósito de lixo e transbordo de restos de construção. Agora o esforço da ACIC é convencer o GDF a cercar o parque no sentido preservar a vegetação, córrego e nascentes.

12. Por uma nova Via Leste

Com uma extensão que atravessa Ceilândia de sul a norte, a Via Leste se tornou uma espécie de avenida comercial da cidade, lá se encontra desde padaria a oficinas mecânicas, hotéis (móteis), restaurantes, lanchonetes tipo fast-food, escolas, academias, lojas de material de construção, ou seja, a avenida é um grande shopping horizontal. Diante de toda esta atratividade econômica e diversidades de negócios, a avenida sofre com a falta de estacionamentos, as calçadas são precárias, falta de limpeza, manutenção e sinalização.

A noite boa parte do comércio fecha e com uma iluminação precária, contribui para que a segurança na via se torne um problema para os empresários da região. Um breve levantamento junto aos comerciantes verifica-se que as demandas são por investimentos na construção de estacionamentos, no canteiro central da via, reforma de calçadas, interligação da via à via centro norte (construção de acesso de Ceilândia sentido P Sul - Taguatinga), substituição da iluminação pública, hoje tipo braço em postes, por iluminação no canteiro central com postes tipo palito.